HACK

Para facilitar, veja a ilustração abaixo. Ela faz tudo ficar mais simples:

Product-Market Fit

Entenda um pouco mais sobre Product-Market Fit com os recursos abaixo:

Dan Olsen-The Playbook for Achieving Product Market Fit from Mind the Product on Vimeo.

Dan aborda como usar um processo científico – observação, medição, experimentação e testes – para determinar e melhorar o product-market fit. O especialista em gerenciamento de produtos Dan Olsen compartilha o conselho de seu livro The Lean Product Playbook, incluindo seu Lean Product Process, uma metodologia de 6 etapas que orienta as pessoas sobre como:

  1. Determine o seu cliente-alvo
  2. Identificar as necessidades do cliente desatendidas
  3. Definir sua proposta de valor
  4. Especificar o seu conjunto de recursos MVP
  5. Criar seu protótipo MVP

Dan Olsen é um gerente de gerenciamento de produtos e Lean Startup que trabalha com CEOs e líderes de produtos para construir produtos e equipes de produtos, muitas vezes como vice-presidente de produtos intermediários. Seus clientes incluem Facebook, Box, Microsoft, Medallia e One Medical Group. Dan é o autor do The Lean Product Playbook.

As ideias do livro Lean Product Process

Este livro descreve o Lean Product Process: uma metodologia repetida e fácil de seguir para iterar o seu caminho para o PMF. Ele descreve como:

  • Determinar seus clientes-alvo
  • Identificar as necessidades do cliente desatendidas
  • Criar uma estratégia de produto vencedora
  • Definir seu Produto Mínimo Viável (MVP)
  • Projetar seu protótipo do MVP
  • Testar seu MVP com clientes
  • Iterar rapidamente para alcançar o produto – ajuste de mercado.

Ideia 1

A principal razão pela qual os produtos falham é porque eles não atendem às necessidades dos clientes de uma maneira que é melhor do que outras alternativas.

Ideia 2

O modelo hierárquico da pirâmide de ajuste do produto-mercado decompõe Product-Market em seus cinco componentes-chave, cada uma uma camada da pirâmide. Seu produto é a seção superior, composta por três camadas – UX, Conjunto de Funções e Proposição de Valor. O mercado é a parte inferior da pirâmide, composta por duas camadas – necessidades insuficientes e clientes alvo. Dentro das seções do produto e do mercado, cada camada depende da camada imediatamente abaixo dela. O ajuste do mercado do produto entre as partes superior e inferior da pirâmide.

Ideia 3

Os seis passos do processo Lean Product:

  • Determine seus clientes-alvo
  • Identificar necessidades de clientes desatendidas
  • Definir sua proposta de valor
  • Especificar seu conjunto de recursos de produto viável mínimo (MVP)
  • Criar seu protótipo MVP
  • Testar seu MVP com clientes

Ideia 4

O “que” descreve os benefícios que o produto deve dar ao cliente – o que o produto irá realizar para o usuário ou permitir que o usuário realize. O “como” é a forma como o produto entrega o “que” ao cliente. O “como” é o design do produto e a tecnologia específica utilizada para implementar o produto. “O que” é espaço para problemas e “como” é o espaço da solução.

Ideia 5

A persona é uma definição precisa do nosso usuário e o que ele deseja realizar. As pessoas boas transmitem os atributos demográficos, psicográficos, comportamentais e baseados em necessidades do seu cliente-alvo. Personas devem caber em uma única página e fornecer um instantâneo do arquétipo do cliente que é rápido para digerir e geralmente inclui as seguintes informações:

  • Nome
  • Fotografia representativa
  • Citação que transmite o que mais lhe interessa
  • Cargo
  • Demografia
  • Necessidades / objetivos
  • Motivações e atitudes relevantes
  • Tarefas e comportamentos relacionados
  • Frustrações / pontos de dor com a solução atual
  • Nível de experiência / conhecimento (no domínio relevante, por exemplo, laptop em um escritório alto ou ocupado ou tablet no sofá em casa)
  • Segmento de ciclo de vida de adoção de tecnologia (para sua categoria de produto)
    • Inovadores
    • Early Adopters
    • Maioria inicial
    • Maioria tardia
    • Atrasados
  • Quaisquer outros atributos salientes

Ideia 6

No desenvolvimento ágil, as histórias dos usuários são usadas para transmitir o que o cliente deseja. Uma história de usuário bem escrita segue o formato “Como um [tipo de usuário], eu quero [fazer algo], para que eu possa [benefício desejado]”.

Ideia 7

As necessidades do cliente podem ter hierarquias, que criam dependências entre necessidades, onde o valor criado por abordar uma necessidade é uma função de quanto outra necessidade está sendo atendida. Um famoso psicólogo americano Abraham Maslow criou cinco níveis de hierarquia de necessidades humanas. Olsen criou uma hierarquia de necessidades de usuários da Web:

  • O site está pronto quando eu quero usá-lo? – Tempo de atividade
  • O site é suficientemente rápido? – Tempo de carregamento da página
  • A funcionalidade funciona? – Ausência de erros
  • A funcionalidade atende minhas necessidades? – Conjunto de características
  • Quão fácil de usar é isso? – Design UX

Ideia 8

Medindo Importância e Satisfação – existem dois tipos de escalas de classificação: unipolar e bipolar. Uma escala bipolar vai de negativo para positivo, enquanto uma escala unipolar vai de 0 a 100 por cento de um atributo. Geralmente é melhor medir a satisfação usando uma escala bipolar, uma vez que as pessoas podem estar satisfeitas ou insatisfeitas, uma pontuação negativa faz sentido. Em contraste, a importância é apenas uma questão de grau, sem qualquer valor negativo, e, portanto, melhor medida com uma escala unipolar. Pesquisas significativas foram realizadas sobre a confiabilidade e validade de várias escalas, e geralmente é acordado que as escalas de 5 pontos são melhores para as escalas unipolares e as de 7 pontos são melhores para bipolar.

Ideia 9

Anthony Ulwick em seu livro What Customers Want descreve sua abordagem de inovação orientada para resultados: Oportunidade = Importância + Maximum (Importância – Satisfação, 0)

Ideia 10

As pessoas pensam que o foco significa dizer sim ao que você precisa se concentrar. Mas não é o que isso significa. Isso significa dizer não às cem outras boas ideias que existem. Você precisa escolher com cuidado.

“Estou tão orgulhoso das coisas que não fiz quanto das coisas que fiz. A inovação é dizer não a 1000 coisas.” – Steve Jobs

Estou tão orgulhoso das coisas que não fiz quanto das coisas que fiz. A inovação é dizer não a 1000 coisas. – Steve Jobs Click To Tweet

Ideia 11

O líder de pensamento ágil, Bill Wake, criou um conjunto de diretrizes para escrever boas histórias de usuários; para torná-los mais fáceis de lembrar, ele usa o acrônimo INVEST:

  • Independente: uma boa história deve ser independente de outras histórias. As histórias não devem se sobrepor no conceito e devem ser implementáveis ​​em qualquer ordem.
  • Negociável: uma boa história não é um contrato explícito para recursos. Os detalhes sobre como o benefício de uma história serão entregues devem estar abertos à discussão.
  • Valioso: uma boa história precisa ser valiosa para o cliente.
  • Estimável: uma boa história é aquela cujo escopo pode ser razoavelmente estimado.
  • Small – Pequeno: boas histórias tendem a ser pequenas. Histórias maiores terão maior incerteza, então você deve quebrá-las.
  • Testável: uma boa história fornece informações suficientes para deixar claro como testar que a história está “concluída” (chamados critérios de aceitação).

Ideia 12

Testes MVP:

  • Testes de marketing:
    • Testes qualitativos:
      • Materiais de marketing
    • Testes quantitativos:
      • Página de pouso / Teste de fumaça
      • Vídeo explicativo
      • Campanha publicitária
      • Testes de marketing A / B
      • Financiamento colaborativo – crowdfunding
  • Testes de produtos:
    • Testes qualitativos:
      • Wireframes
      • Mockups
      • Protótipo interativo
      • Wizard of Oz & Concierge
      • Live
  • Testes quantitativos:
    • Porta falsa / página 404
    • Análise de produtos e testes A / B

Ideia 13

O tamanho ideal de uma equipe Scrum é de cinco a nove pessoas. Você pode ter ouvido falar de “regra das duas pizzas” – se duas pizzas não são suficientes para alimentar sua equipe, então ela é muito grande.

Avaliação

Avaliação: 96/100. Abrange todas as etapas essenciais para a construção de um produto bem-sucedido, bem como exemplos reais de algumas das startups mais famosas, como Uber. Eu acho isso muito interessante e prático, além de considerá-lo como uma leitura obrigatória para qualquer pessoa interessada em desenvolvimento de produtos ágil.


Sobre o autor André Bartholomeu Fernandes rotate

Pós-graduado em Harvard e MIT, André iniciou sua carreira na internet em 2002 levando internet a mais de 4.000 cidades brasileiras com o provedor Samba. Trabalha com empresas nacionais e multinacionais levando soluções de internet focadas em resultados. Seu blog, o Jornal do Empreendedor tem mais de 200.000 leitores.

Relatório

Tendências do Growth Marketing para 2018

Especialistas dos EUA compartilham as tendências que dominarão 2018.

Baixe aqui